Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Homem, de 36 a 45 anos



Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis


 
 
BLOG DO MARCOS GROSS


 

COMO DAR NOTÍCIAS RUINS ÀS PESSOAS

É muito fácil comunicar a uma equipe de trabalho que os resultados do trimestre foram excelentes, que os clientes estão satisfeitos com os serviços, que um profissional será promovido e terá aumento de salário. Esse é “lado light” da comunicação do cotidiano corporativo. Todo mundo quer ser porta-voz de mensagens positivas.

Na Antiguidade, reis e generais matavam mensageiros após escutarem a transmissão de notícias desfavoráveis. O “lado hard” das mensagens é o mais complicado de se dar e receber. Ele envolve dar recados pouco simpáticos como demissões, perdas de fatias de mercado e queda acentuada nas vendas. É claro que quem comunica coisas ruins às pessoas sofre desgastes. Líderes competentes sabem que devem comunicar notícias desagradáveis porque nem sempre se vive no “mundo do faz de conta”.

Fatos são fatos. É uma atitude imatura não reconhecê-los ou nos iludir tentando camuflar a realidade. A cabeça de um gestor pode estar nas nuvens, com seus projetos, sonhos e visões, mas a administração dos números da organização exige mantermos os “pés firmemente no chão” sob o risco do “barco organizacional” inteiro afundar.

Há dois tipos de abordagens que as pessoas costumam utilizar quando estão  diante de comunicar uma notícia ruim. A primeira é evitá-la, mascará-la ou mesmo fugir dela. Alguns pessoas adiam seus recados ao máximo ou permanecem em silêncio, deixando o cenário se deteriorar cada vez mais, pois é muito complicado transmitir uma mensagem que possa magoar seus colegas.

 

A outra abordagem é mais agressiva. O recado difícil é dado de maneira direta e fria, pegando o interlocutor de surpresa, deixando-o em estado de choque. A mensagem foi dada o mais rápido possível de forma “curta e grossa”. Nesse caso o moral do colaborador e da tropa “cai abaixo de zero” devido à forma como a notícia foi transmitida, gerando ansiedade quanto ao futuro.

No primeiro caso, a tática foi o da fuga da notícia ruim; na segunda abordagem, o gestor foi “seco demais”. Entre o preto e o branco, existe a escala de cinza.

Não concordo com as táticas anteriores. Fico com uma terceira alternativa. Acho que os gestores devem dar as notícias ruins com bastante franqueza, mostrando os dados. No entanto, acredito que eles devem, logo em seguida, mostrar aos seus seguidores perspectivas e possibilidade futuras, focando como é possivel a pessoa superar ou sair da situação desagradável.

O grande desafio é transformar a dificuldade da notícia ruim em oportunidade de superação e crescimento. Nos meomentos tensos, a mensagem ideal posiciona o interlocutor a respeito da verdade, mas aponta caminhos, luz e soluções para a saída do atoleiro. Batemos, mas assopramos imediatamente. Fim da mensagem.

 

Marcos Gross Scharf

Diretor da McGross – treinamento e consultoria

Doutorando, Mestre e especialista em Gestão de comunicação

www.mcgross.com.br



Escrito por Marcos Gross às 09h57
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]